Em alusão a campanha do Setembro Amarelo, gestão organiza reunião com pais de alunos do SCFV – Prefeitura de Cláudia

Em alusão a campanha do Setembro Amarelo, gestão organiza reunião com pais de alunos do SCFV

O assunto é delicado, complexo e até mesmo considerado um tabu, entretanto, não deve ser ignorado ou simplesmente deixado de lado. Pensado em quebrar esses paradigmas impostos sobre o suicídio, o executivo de Cláudia, por meio da secretaria de Assistência Social, organizou na última quarta-feira (11) uma reunião com pais de alunos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).

O encontro, que aconteceu no Clube dos Idosos, foi realizado após a equipe técnica do SCFV, que acompanha as crianças diariamente com atividades de orientação, perceber que existia a necessidade de dar ênfase a esse trabalho. A reunião também fez alusão a campanha nacional do Setembro Amarelo.

Entre os presentes na ação estavam a Coordenadora do SCFV, Diane Facchi, e as orientadoras do serviço, Claudete Guareze Viecelli e Josiane Silva da Rocha, além de membros da equipe do Cras, como a psicóloga, Maria Lucineide de Oliveira e a Assistente Social, Lídia Ferreira de Medeiros.

“Estamos preocupados e empenhados em mudar a realidade. Realizamos campanhas, palestras e outros eventos para auxiliar nessa questão. Tratamos sobre a violência, casos de automutilação, além da tristeza profunda que acompanha nossos adolescentes nos dias de hoje. Nosso intuito é ajudar a diminuir episódios desse estilo”, destacou a secretária de Assistência Social, Mônica Fátima Deprá.

Vale lembrar, que de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 12 mil suicídios são registrados anualmente no Brasil, resultando em um caso a cada 45 minutos. Já a nível mundial, uma pessoa tira sua própria vida a cada 40 segundos, correspondendo a aproximadamente 800 mil mortes por ano.

“Esse trabalho é muito importante para conscientização das famílias sobre o tema. O assunto deve sim ser falado e abordado. Buscamos dar suporte a população, para que cada um acompanhe a situação dentro de sua casa”, ressaltou a psicóloga, Maria Lucineide de Oliveira.

Na ocasião, um dos palestrantes foi o também psicólogo Márcio Marcolino da Cruz. De acordo com o profissional é essencial que a comunidade participe dessas ações e ainda deixou uma dica a todos os cidadãos.

“Pensamos que essas tragédias nunca acontecerão conosco ou com pessoas próximas, mas devemos cuidar de nossos filhos e de nossas famílias. Esse mês é de combate ao suicídio, então é essencial realizar esses encontros. Uma das maneiras de combater esse mal, é por meio do diálogo emocional, pelo abraço, carinho e atenção. Certamente devemos praticar essas atitudes no dia a dia”, concluiu.