Festividade do Dia da Mulher será realizada pela Assistência Social em Cláudia – Prefeitura de Cláudia

Festividade do Dia da Mulher será realizada pela Assistência Social em Cláudia

Com o diferencial de um Café Colonial o evento acontece nesta quinta-feira.

Para marcar o Dia Internacional da Mulher celebrado no dia 8 de março, tradicionalmente a Secretaria de Assistência Social realiza uma festividade com intuito de renovar a luta e conquista das mulheres no mundo.

Este ano com uma programação diferenciada o evento será marcado com um café colonial.

“Tudo esta sendo preparado com muito carinho para que as nossas convidadas possam se sentir a vontade e comemorar esta data. A idéia do café colonial trás um resgate da cultura sulista além de valorizar a produção da agricultura familiar no município”, explicou a secretária de assistência social, Mônica Fátima Deprá.

A festividade contará ainda com decoração característica, trajes a rigor, culinária típica e a animação da dupla Jony e Marcos.

Para que haja o melhor aproveitamento do evento é orientado que as participantes não levem crianças, pois não será permitida a entrada.

Um grande número de mulheres já é aguardado pela organização do evento visto que o ano passado foi recorde de participação.

“Convidamos a todas as mulheres do município, acima de 16 anos, para participar junto conosco deste evento. O Dia Internacional da Mulher é o símbolo da luta por direitos iguais, que foram conquistados com muito esforço e esta é uma data que merece atenção especial”, pontuo a secretária.

O evento será realizado na quinta-feira (08), com inicio as 17:30 no pavilhão da Igreja Católica.

8 de março

O dia 8 de março é o resultado de uma série de fatos, lutas e reivindicações das mulheres (principalmente nos EUA e Europa) por melhores condições de trabalho e direitos sociais e políticos, que tiveram início na segunda metade do século XIX e se estenderam até as primeiras décadas do XX.

No dia 8 de março de 1857, trabalhadores de uma indústria têxtil de Nova Iorque fizerem greve por melhores condições de trabalho e igualdades de direitos trabalhistas para as mulheres. O movimento foi reprimido com violência pela polícia. Em 8 de março de 1908, trabalhadoras do comércio de agulhas de Nova Iorque, fizeram uma manifestação para lembrar o movimento de 1857 e exigir o voto feminino e fim do trabalho infantil. Este movimento também foi reprimido pela polícia.

No dia 25 de março de 1911, cerca de 145 trabalhadores (maioria mulheres) morreram queimados num incêndio numa fábrica de tecidos em Nova Iorque. As mortes ocorreram em função das precárias condições de segurança no local. Como reação, o fato trágico provocou várias mudanças nas leis trabalhistas e de segurança de trabalho, gerando melhores condições para os trabalhadores norte-americanos.

Porém, mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Mas somente no ano de 1975, durante o Ano Internacional da Mulher, que a ONU (Organização das Nações Unidas) passou há celebrar o Dia Internacional da Mulher em 8 de março.

Por: Henrique Basinski