Prefeitura de Cláudia desenvolve projeto de vôlei adaptado para idosas – Prefeitura de Cláudia

Prefeitura de Cláudia desenvolve projeto de vôlei adaptado para idosas

Sacar, recepcionar, levantar e defender. Todas essas atividades são praticadas por um grupo da 3° idade do município de Cláudia, que acatou um convite realizado pela prefeitura de Sorriso. Para desenvolver o Vôlei Adaptado, o executivo uniu as secretarias de Esportes e Lazer, Saúde e Assistência Social.

As ações que se iniciaram no mês de abril já são consideradas um sucesso e contam com a participação de aproximadamente 25 idosas.

A Coordenadora Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), Diane Casagrande, explicou que a receptividade desenvolvida pelas idosas chega ser ‘mágica’.

“É uma atividade física que elas adoram praticar. Elas mesmo explicam que estão mais ativas e menos sedentárias, hoje estão felizes e querem que o projeto continue. Isso é gratificante”, pontuou Diane.

A participante Ivone Viadroski, ressaltou que quando iniciou as atividades sentiu que sua saúde e disposição melhoraram.

“Eu estou muito satisfeita, dede que comecei a participar não tenho dor na coluna ou nas pernas. Me sinto ótima, maravilhosa. Agradeço a Deus e toda a equipe que está aqui conosco”, destacou Ivone.

A professora de Educação física, Dagmeri Souza, explicou que o processo das atividades desenvolvidas abrange áreas maiores do que apenas um esporte.

“Esse é um trabalho em grupo, que conta com uma parceria entre a Assistência Social e Saúde fornecendo um laudo médico e a pasta de Esportes que disponibiliza o material e os profissionais. Com todos esses componentes eu creio que esse projeto tem tudo para dar certo”, lembrou Dagmeri.

A companheira da Associação de Senhoras de Rotarianos de Cláudia (ASR), Imilia Schussler, ressaltou que a qualidade de vida da ‘melhor idade’ no município só tende a melhorar.

“É muito válido nossa parceria, porque estamos promovendo melhor qualidade de vida a elas. O vôlei adaptado é muito dinâmico, ajuda na coordenação motora e na melhor convivência entre as participantes”, explicou Imilia.

Já Valdeci Terezinha que também pratica a modalidade, destacou que além de diversão o exercício proporcionou evolução em seu desenvolvimento.

“Melhorou basicamente tudo. Eu não me canso mais do serviço. Chega a hora de nós virmos e já estamos animados. Podemos conversar e praticar esporte, certamente essa ação é muito gratificante”, esclareceu Terezinha.