Uso excessivo de tecnologia pode causar imperatividade em crianças, afirma enfermeira – Prefeitura de Cláudia

Uso excessivo de tecnologia pode causar imperatividade em crianças, afirma enfermeira

A estimulação excessiva dos pais ao uso de aparelhos eletrônicos está propagando o problema

A prefeitura de Cláudia por meio do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), secretaria de Educação e Cultura, com a participação da Pastoral da Criança, iniciou nesta segunda-feira (27) a Semana do Bebê.

Essa ação tem por objetivo conscientizar os pais sobre o uso exagerado da tecnologia por crianças e a problematização ocasionada pela utilização excessiva da internet e mídias em geral.

A semana do bebe é comemorada em Cláudia desde de 2016 em comprimento a Lei Municipal 601/2016, aprovada em 22 de março de 2016. Essa lei visa agregar mais atividades relacionadas a saúde de recém-nascido, crianças e adolescentes, onde os profissionais desenvolvem projetos para que sejam trabalhados na Semana do Bebê.

A enfermeira e coordenadora de Atenção Básica, Ângela Ramos Pereira, explicou que a secretária de saúde contém o selo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o que torna essa prática extremamente importante para o município.

“Nós trabalhamos a problematização com o uso da internet e mídias em geral, principalmente com os mais novos. Temos muitos encaminhamentos para as crianças, onde elas são diagnosticadas com imperatividades, mas esses problemas só existem porque os bons costumes das brincadeiras foram perdidos”, contou.

A coordenadora lembrou ainda que a estimulação excessiva dos pais ao uso de aparelhos eletrônicos é o que está propagando o problema.

“Muitas vezes para que as crianças fiquem quietas as mães acabam utilizando a tecnologia como artificio. O que atrapalha drasticamente o desenvolvimento dos pequenos”, pontuou.

Segundo a enfermeira o principal motivo da imperatividade é a sensação de abandono que é adquirida ao substituírem a brincadeira convencional por tecnologia.

“Elas precisam de brincadeiras para que aprimorem os seus sentidos. Isso auxilia o desenvolvimento e ajuda para que elas se integrem na sociedade”, ponderou.

O desenvolvimento nas creches

O início do projeto foi desenvolvido nas creches, onde os profissionais da educação e do Nasf utilizaram brinquedos e objetos, promovendo a conscientização junto aos pais.

“Nós temos os projetos onde utilizamos diversos brinquedos e objetos com textura diferentes. É necessário que as crianças brinquem e conseguimos mostrar isso para os pais presentes”, computou.

Palhaçoterapia

Para facilitar a conscientização das crianças e explorar a curiosidade a secretária de Saúde adquiriu uma técnica por nome de Palhaçoterapia.

A ideia do projeto é desenrolar as problematizações de maneira lúdica e suave, interagindo com a plateia e trazendo a população para dentro dos questionamentos e soluções.